Chá quente

Cúmulos...

Crónicas de Segunda 9

Crónicas de Segunda 8

Crónicas de Segunda 7

Antíteses portuguesas

Chá frio

Maio 2015

Junho 2014

Abril 2014

Outubro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Agosto 2012

Novembro 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Chás mais bebidos

quem já bebeu
quem já bebeu
quem já bebeu
quem já bebeu

O Bule

todas as tags

Quinta-feira, 29 de Abril de 2010

Ovibeja

Parto daqui a minutos para Beja, onde me espera o meu amigo Mário Simões.

Os meus companheiros de viagem serão o Nuno Malta, o eng. Candoso, o Serrinha e Armando.

Há anos que tenho convites para ir folgar para a Ovibeja. Quem diria que a minha primeira vez seria em trabalho...?

 

uma infusão de Paulo Colaço às 07:20
link directo | vai uma chávena?
Domingo, 25 de Abril de 2010

...

Já quase a fechar este dia 25 de Abril, segue um poema de Bocage que bem podia ser um poema do 24 de Abril:

 

 

Mote: A morte para os tristes é ventura

 

Quem se vê maltratado, e combatido

Pelas cruéis angústias da indigência

Quem sofre de inimigos a violência,

Quem geme de tiranos oprimido:

 

Quem não pode ultrajado, e perseguido

Achar nos céus, ou nos mortais clemência,

Quem chora finalmente a dura ausência

De um bem, que para sempre está perdido:

 

Folgará de viver, quando não passa

Nem um momento em paz, quando a amargura

O coração lhe arranca e despedaça,

«A morte para os tristes é ventura.»

 

uma infusão de Paulo Colaço às 22:27
link directo | vai uma chávena? | quem já bebeu (1)

Carlos Enes na Comissão


O Carlos Enes tem os três requisitos que fazem dele um grande Jornalista: excelente domínio da língua, notável perspicácia e enorme coragem. Há dias, este Psico-Amigo foi à "Comissão". Porém, mais me parece que é a "Comissão" que está a querer ir ao Carlos, e a sangue-frio.
Porquê? Um dos principais motivos: fiel à deontologia, não quer revelar fontes. E prefere ir preso a fazê-lo.
"Não troco 15 anos de profissão por 15 minutos de fama!", declarou.
É pena que não haja no Tubo clips mais completos que este, mas quem não conhece um dos nossos melhores jornalistas de investigação, estes dois minutos são esclarecedores quanto à sua têmpera.

É um orgulho ter amigos desta natureza.
Eu pergunto se o "imprescindível" sindicato dos jornalistas já se pronunciou. Alguém sabe?
Ou a rapaziada da doentologia, tão rápidos nestes casos a ir às televisões, já se os ouviu piar?
uma infusão de Paulo Colaço às 12:02
link directo | vai uma chávena?

Uma boa supresa

Desconhecia que a oposição em Rio Maior estava atenta a este blog.

E até o cita nas Assembleias Municipais.

Curioso.

Vou inteirar-me melhor do que foi dito para poder responder, se achar relevante.

uma infusão de Paulo Colaço às 11:28
link directo | vai uma chávena? | quem já bebeu (2)
Sexta-feira, 16 de Abril de 2010

O Burro Adalberto

Era um burro nada burro
E senhor do seu nariz
Cantava no Coliseu
Cantava no Coliseu
E também no São Luiz

 

Sempre que ia cantar
Tinha grandes ovações
Porque ele em vez de zurrar
Porque ele em vez de zurrar
Cantava lindas canções

 

Refrão:
Eu não zurro, eu não zurro
I-ó, I-ó
Porque isso é próprio do burro
Eu não zurro, eu não zurro
Lá, lá, lá,lá lá
Porque isso é próprio do burro

 

Começava a cantoria
Deste bicho inteligente
E um dia na galeria
E um dia na galeria
Esteve o Senhor Presidente

 

E disse: “Senhor Ministro,
Este burro é o maior.
Não dá coices a ninguém
Não dá coices a ninguém
Só canta canções de amor”

 

Refrão

Quando acabou o concerto
O burro estava cansado
Mas já sabia decerto
Mas já sabia decerto
Que ia ser condecorado

 

E o Ministro da Parvónia
Atribuiu-lhe a medalha
No final da cerimónia
No final da cerimónia
Lá, lá,lá, lá, lá
Deu-lhe dois fardos de palha!
Dois fardos de palha!

 

O Bule: , ,
uma infusão de Paulo Colaço às 01:57
link directo | vai uma chávena?
Quinta-feira, 15 de Abril de 2010

Não sei se é um elogio...

Disse-me um amigo:

- Paulo, tu és a única pessoa que quando foi para o Poder... emagreceu!

 

uma infusão de Paulo Colaço às 02:45
link directo | vai uma chávena?
Quinta-feira, 8 de Abril de 2010

És grande!

O Bule:
uma infusão de Paulo Colaço às 21:47
link directo | vai uma chávena?
Quarta-feira, 7 de Abril de 2010

Lapidar

"Não preciso de ir ao carácter para fazer um juízo muito fúnebre deste Primeiro-Ministro. Basta-se ir ao seu trabalho."

Cecília Meireles, Deputada do CDS.

 

uma infusão de Paulo Colaço às 01:21
link directo | vai uma chávena?
Segunda-feira, 5 de Abril de 2010

O Comunismo e o seu fracasso genético

Um professor de economia foi confrontado com uma turma que insistia nos benefícios do comunismo: “ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e justo”, diziam os alunos.

 

Incapaz de convencer os alunos que o comunismo não era funcional, propôs uma experiência. Em vez de dinheiro, usariam as notas.

 

Todas as notas seriam concedidas com base na média da turma. Na sequência dos primeiros testes, todos ficaram com 14. Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram muito deliraram com o “resultado” do comunismo.

 

No segundo exame, o comportamento da turma foi o seguinte: os preguiçosos estudaram ainda menos (esperavam tirar notas boas de qualquer forma) e os que habitualmente estudavam bastante resolveram relaxar, visto que o seu esforço jamais seria premiado na divisão das notas. Média geral? Foi 10…

 

Ninguém gostou.

 

Depois do terceiro teste, a média geral foi um 5.

 

As notas não voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. O sentimento de injustiça passou a fazer parte daquela turma. E ninguém estava disposto a estudar para beneficiar o resto da turma. Portanto, todos os alunos chumbaram à cadeira... Para sua total surpresa.

 

No final, o professor explicou que "quando a recompensa é grande, aumenta o esforço pelo sucesso, pelo menos para alguns de nós. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao trabalho, sucesso e produtividade, então o fracasso é inevitável."

 

Premiar a preguiça desmoraliza quem trabalha.

 

(in cenas que recebo na caixa de mail)

 

O Bule:
uma infusão de Paulo Colaço às 13:51
link directo | vai uma chávena?
Domingo, 4 de Abril de 2010

Navegar, Navegar...

Amanhã, joga-se contra a Naval.

Verei o jogo em Lisboa, no jantar dos primos.

 

O Bule:
uma infusão de Paulo Colaço às 20:29
link directo | vai uma chávena? | quem já bebeu (2)

Este benfiquismo...

Ver o Benfica ganhar, tantas vezes e tão bem, até me faz gostar de ouvir o Rui Santos.

 

O Bule:
uma infusão de Paulo Colaço às 12:09
link directo | vai uma chávena?
Sábado, 3 de Abril de 2010

Na Pesca

Quinta-Feira foi dia de tolerância de ponto e... de pesca!

 

uma infusão de Paulo Colaço às 00:53
link directo | vai uma chávena?

Zeca Pagodinho explica a diferença entre os diversos tipos de samba...

uma infusão de Paulo Colaço às 00:33
link directo | vai uma chávena?

Servido por

Paulo Colaço

pesquisar aqui

 

Instagram

Instagram

Outras infusões

subscrever feeds

Analytics

Chávenas recentes

If justice would ever Justa there would be so many...
Outra versão interessante encontrada no tubo. http...
Alguém que diz que, num casal homossexual, "um hom...
Deixemo-nos de ingenuidades...a rédea curta nos ga...
Caro António Saraiva, uma releitura do título dest...