Chá quente

A anedota

Chá frio

Maio 2015

Junho 2014

Abril 2014

Outubro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Agosto 2012

Novembro 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

O Bule

todas as tags

Quinta-feira, 28 de Agosto de 2008

A anedota

Há dias, João Miguel Tavares, jornalista do DN, querendo zombar de MFL, escreveu:

«Um partido de oposição, sobretudo numa altura em que alegadamente aposta na "seriedade" e na recusa a todo o custo da "demagogia", não pode vir a público exigir a demissão de um ministro porque uma carrinha da Prosegur foi assaltada à bomba e um dono de uma joalharia morto a tiro.»

 

João Miguel Tavares pertence àquele grupo de gente a quem a realidade passa ao lado.

Lembra-me uma anedota de Raul Solnado:

- O meu avô era surdo como um pneu! Um dia houve uma revolução e caiu uma bomba lá em casa. Ele saiu do quarto e gritou "não batam com as portas"...

 

uma infusão de Paulo Colaço às 02:50
link directo | vai uma chávena?

Servido por

Paulo Colaço

pesquisar aqui

 

Instagram

Instagram

Outras infusões

subscrever feeds

Analytics

Chávenas recentes

If justice would ever Justa there would be so many...
Outra versão interessante encontrada no tubo. http...
Alguém que diz que, num casal homossexual, "um hom...
Deixemo-nos de ingenuidades...a rédea curta nos ga...
Caro António Saraiva, uma releitura do título dest...