Chá quente

A (única) ditadura que ac...

Soares, Chávez, as eleiçõ...

Palavras que escorrem san...

Um poema solidário

Apetências...

Chá frio

Maio 2015

Junho 2014

Abril 2014

Outubro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Agosto 2012

Novembro 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Chás mais bebidos

O Bule

todas as tags

Quarta-feira, 10 de Abril de 2013

A (única) ditadura que aceito

Há uns anos, chegando a Ministro das Finanças, um certo governante anunciou de imediato as seguintes medidas, aqui transcritas textualmente:

 

a) que cada Ministério se compromete a limitar e a organizar os seus serviços dentro da verba global que lhes seja atribuída pelo Ministério das Finanças;

b) que as medidas tomadas pelos vários Ministérios, com repercussão directa nas receitas ou despesas do Estado, serão previamente discutidas e ajustadas com o Ministério das Finanças;

c) que o Ministério das Finanças pode opor o seu «veto» a todos os aumentos de despesa corrente ou ordinária, e às despesas de fomento para que se não realizem as operações de crédito indispensáveis;

d) que o Ministério das Finanças se compromete a colaborar com os diferentes Ministérios nas medidas relativas a reduções de despesas ou arrecadação de receitas, para que se possam organizar, tanto quanto possível, segundo critérios uniformes.

 

Há dias, algo semelhante foi anunciado pelo ministério de Vítor Gaspar. Resultado: toda a gente estremeceu, comentou, repudiou.

 

Estas limitações ao funcionamento dos ministérios e serviços público, a que vulgarmente se chama de “ditadura do Ministro das Finanças”, já vêm de longe. Não são novidade. Gaspar não é o primeiro nem será o último a ter de lembrar duas coisas aos portugueses:

- só se pode gastar o que há

- nem tudo o que há se pode gastar

 

E a minha dúvida é a seguinte: quantos mais anos levaremos a perceber que Portugal tem de viver em permanente ditadura do Ministro das Finanças?

 

Já agora, o discurso acima foi feito por António de Oliveira Salazar.

uma infusão de Paulo Colaço às 12:04
link directo | vai uma chávena? | quem já bebeu (4)
Sexta-feira, 8 de Março de 2013

Soares, Chávez, as eleições e a saudade

Soares diz que Chávez era um homem bom.

Repugna-me mas não posso negar a ninguém o direito de gostar dos seus amigos. Hitler, Mao e Estaline também devem ter tido os seus amigos chegados...

Porém, de Chávez, Soares diz outras duas coisas que me parecem – essas sim – estranhas vindas de um antigo exilado político.

O nosso ex-PM salienta que a Venezuela de Chávez “sempre funcionou por via de eleições” e que o homem deixará “uma grande saudade”.

Analisemos individualmente cada barbaridade.

“O” Portugal de Salazar também funcionava com sufrágios, mas isso não impediu Soares de chamar ditador ao regime!

E a Coreia do Norte também vai a votos...

Sobre o facto de as eleições não servirem para provar a democraticidade dos regimes creio que estamos conversados.

 

Passemos à saudade.

Soares diz que Chávez deixará saudades.

Eu consigo identificar dois tipos de pessoas que as sentirão:

a) aqueles que viviam à sombra do seu poder

b) aqueles que lucraram financeiramente com Chávez

 

Sei que Soares não está na primeira categoria e vou tentar não acreditar que se encontrasse na segunda.

 

Mas ainda quanto à saudade, será que Soares partilha da saudade que tantos portugueses sentem por Salazar?

uma infusão de Paulo Colaço às 15:46
link directo | vai uma chávena?
Domingo, 29 de Agosto de 2010

Palavras que escorrem sangue V - Villa Grimaldi

Assim ficou conhecido o complexo penal dirigido pela polícia secreta chilena, criada por Augusto Pinochet - a DINA.

Em Villa Grimaldi, perto de Santiago, a DINA prendeu, interrogou, torturou cerca de 5000 homens e mulheres, fazendo desaparecer muitos deles.

Michelle Bachelet, anterior presidente chilena, foi uma das detidas da DINA em Villa Grimaldi.

 

uma infusão de Paulo Colaço às 22:19
link directo | vai uma chávena?
Sábado, 19 de Dezembro de 2009

Um poema solidário



Em 1969, Caetano Veloso foi deportado para Londres.
Em 1971, Roberto Carlos e Erasmo Carlos editaram esta melodia.
Relação entre os dois factos? Muita!
Numa visita relâmpago ao amigo exilado, Roberto Carlos mostrou uma das coisas que estava a compor para um novo disco: "As curvas na estrada de Santos" (que eu e o Júlio Pisa não nos cansamos de cantar).
Conta o próprio Caetano que ao ouvir a nova música do "Rei Roberto", não conseguiu parar de chorar, tais eram as saudades da sua terra.
Ao regressar ao Brasil, Roberto e Erasmos começaram a compor uma música que homenageasse o amigo. Teria de ser uma música que o simbolizasse mas que não desse muito nas vistas. É que, apesar do regime ditador nunca ter tido coragem de impôr censura em Roberto Carlos, não convinha ser demasiado explícito.
Assim, pegando numa imagem de marca de Caetano, os seus caracóis, os Carlos criaram uma mensagem subterrânea.
Convido a redescobrirem esta letra.
Uma nota: ao contar esta história, Caetano disse uma dia que era importante as pessoas conheceram-na para saberem bem "quem é o homem a quem chamam de Rei".
Grandes! Ambos os dois.

uma infusão de Paulo Colaço às 04:08
link directo | vai uma chávena?
Terça-feira, 11 de Agosto de 2009

Apetências...

"Eu e o meu povo chegámos a um acordo: eles dizem o que lhes apetece e eu faço o que me apetece."

(Frederico, o Grande)

 

uma infusão de Paulo Colaço às 09:56
link directo | vai uma chávena?
Segunda-feira, 3 de Agosto de 2009

O assumido

De facto, você venceu a eleição mas eu venci a contagem

(Afirmação de Anastázio Somoza para um adversário que o acusou de fraude eleitoral)

 

O Bule: ,
uma infusão de Paulo Colaço às 10:19
link directo | vai uma chávena?
Sábado, 18 de Julho de 2009

Não basta ter votos

Anastásio Somoza foi ditador na Nicarágua durante anos e anos.
Eis uma frase que desferiu contra um adversário eleitoral:
"De facto, você venceu as eleições, mas eu venci a contagem".
uma infusão de Paulo Colaço às 19:15
link directo | vai uma chávena? | quem já bebeu (1)
Sexta-feira, 15 de Agosto de 2008

Tiques Imperialistas

«A conclusão de um acordo para a colocação na Polónia de elementos de um escudo antimíssil americano na Europa central “agrava ainda mais” o estado das relações entre os EUA e a Rússia, disse hoje um alto responsável militar russo.» in Público

Há tiques que nunca se perdem, como este de achar que toda a Europa de Leste é o seu feudo.

uma infusão de Paulo Colaço às 14:13
link directo | vai uma chávena?
Segunda-feira, 11 de Agosto de 2008

A queda

Quase todos os regimes ditatoriais morrem pela loucura.

O filme "A Queda" conta os últimos 12 dias do nazismo e mostra o grau de insanidade a que a Alemanha de Hitler chegou.

Recomendo.

uma infusão de Paulo Colaço às 14:38
link directo | vai uma chávena?
Quarta-feira, 23 de Julho de 2008

Velho ditado forense

Radovan Karadzic vai assegurar ele mesmo a sua defesa no seu processo diante do Tribunal Penal Internacional.

 

É costume dizer-se que "quem se defende a si mesmo em tribunal tem um cliente louco".

Há ditados certeiros...

uma infusão de Paulo Colaço às 14:42
link directo | vai uma chávena?
Segunda-feira, 21 de Julho de 2008

Ditadores, venham eles!

Sócrates diz que Líbia é parceiro estratégico para Portugal.

Até pode ser, mas o que me fica desta notícia é a imagem do nosso PM agarrado a ditadores.

Ainda me lembro do abraço a Chávez.

uma infusão de Paulo Colaço às 12:32
link directo | vai uma chávena?
Sexta-feira, 18 de Julho de 2008

Menino de ouro alogia homem de diamante

O primeiro-ministro português, José Sócrates, destacou hoje o "trabalho notável" que o Governo angolano tem desenvolvido e que permitiu transformar Angola num dos países que "mais tem crescido economicamente".

 

Que feliz deve ficar o Governo angolano com ele elogio.

Deve estar a sentir-se como Sócrates quando ouviu as palavras de Dias Loureiro...

 

uma infusão de Paulo Colaço às 00:40
link directo | vai uma chávena?

Servido por

Paulo Colaço

pesquisar aqui

 

Instagram

Instagram

Outras infusões

subscrever feeds

Analytics

Chávenas recentes

If justice would ever Justa there would be so many...
Outra versão interessante encontrada no tubo. http...
Alguém que diz que, num casal homossexual, "um hom...
Deixemo-nos de ingenuidades...a rédea curta nos ga...
Caro António Saraiva, uma releitura do título dest...