Chá quente

Agasalha-te, filho, porqu...

Tão natural quanto a sua ...

Igreja Caviar... nos Cama...

Chá frio

Maio 2015

Junho 2014

Abril 2014

Outubro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Agosto 2012

Novembro 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Chás mais bebidos

O Bule

todas as tags

Quinta-feira, 9 de Maio de 2013

Agasalha-te, filho, porque tenho frio

A Ordem dos Advogados recusa adopção por famílias onde "um homem faz de mãe e uma mulher faz de pai". Curiosamente, parece não ter problemas com instituições que fazem de “família”.

Por muito respeito que tenho aos assistentes sociais, uma família que nos deseja faz toda a diferença no nosso crescimento saudável e confiante.

Diz a OA  que a adopção por casais homossexuais colide frontalmente com o direito das crianças a serem adoptadas por uma família natural", constituída por um homem e uma mulher.

Quando se prefere uma criança institucionalizada em detrimento de uma criança adoptada por dois pais ou duas mães, não se está a pensar nas crianças mas sim em nós mesmos.

Não é o interesse da criança que a OA defende mas sim a sua própria concepção social, embrulhada em preconceito.

uma infusão de Paulo Colaço às 12:47
link directo | vai uma chávena? | quem já bebeu (1)
Terça-feira, 8 de Junho de 2010

Tão natural quanto a sua sede

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava.

 

Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve Estrelas a mais...
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

 

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

 

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém...

 

Pra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe...

 

 

Este é, para mim, um dos mais bonitos poemas em língua portuguesa.
Fala da nossa pequenês, fala da relatividade e de inconsequência.

 

Ontem, uma Teresa e uma Helena casaram.
Não casaram com um João e um Pedro, respectivamente.
Casaram uma com a outra.
Foram as primeiras a fazê-lo em Portugal.

 

Ninguém se prejudicou.
Ninguém ficou mais pobre.
Ninguém deixou de ter a hipoteca por pagar.
Duas mulheres casaram uma com a outra o mundo ficou como estava.

 

Doeu? Hã? Doeu???!!!

 

uma infusão de Paulo Colaço às 04:04
link directo | vai uma chávena?
Quarta-feira, 18 de Março de 2009

Igreja Caviar... nos Camarões

Bento XVI está no continente mais afligido com a SIDA.

Em vez de apoiar a investigação de combate à doença, pediu à malta para deixar de pinar.

 

Não deixa de ser curioso que a Igreja Caviar tenha ido aos Camarões... gozar com a desgraça alheia.

 

uma infusão de Paulo Colaço às 18:10
link directo | vai uma chávena?

Servido por

Paulo Colaço

pesquisar aqui

 

Instagram

Instagram

Outras infusões

subscrever feeds

Analytics

Chávenas recentes

If justice would ever Justa there would be so many...
Outra versão interessante encontrada no tubo. http...
Alguém que diz que, num casal homossexual, "um hom...
Deixemo-nos de ingenuidades...a rédea curta nos ga...
Caro António Saraiva, uma releitura do título dest...