Chá quente

Arqueologia em Rio Maior ...

Arqueologia em Rio Maior ...

Arqueologia em Rio Maior ...

Arqueologia em Rio Maior ...

Vai-se fazendo tarde

Chá frio

Junho 2018

Maio 2015

Junho 2014

Abril 2014

Outubro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Agosto 2012

Novembro 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

O Bule

todas as tags

Quinta-feira, 12 de Agosto de 2010

Arqueologia em Rio Maior VII

Porque não basta tirar da terra: há que catalogar!
uma infusão de Paulo Colaço às 10:45
link directo | vai uma chávena?
Sexta-feira, 6 de Agosto de 2010

Arqueologia em Rio Maior V

O Pórtico Manuelino, que se encontra na antiga Biblioteca Municipal.

(propositadamente tombado, lembrando o seu esquecimento. O actual Executivo já começou a destapá-lo com a publicação no Boletim Municipal)

 

 

uma infusão de Paulo Colaço às 10:13
link directo | vai uma chávena?
Quarta-feira, 28 de Julho de 2010

Arqueologia em Rio Maior II

O crivo em que muito trabalhei.

Uma espécie de peneira gigante para separar a terra dos objectos "valiosíssimos".

O género de experiências que um certo professor de história nunca deve ter vivido, ou não teria desprezado tanto a arqueologia do concelho.

 

uma infusão de Paulo Colaço às 09:49
link directo | vai uma chávena?
Segunda-feira, 26 de Julho de 2010

Arqueologia em Rio Maior I

Aqui há dias visitei com o Carlos Pereira (o arqueólogo municipal) um dos meus lugares favoritos em tempos idos: a Capela de Nossa Senhora da Victoria, onde antes estava instalado o grupo de trabalho de arqueologia da autarquia, tão maltratado nos 24 anos socialistas em Rio Maior.

Era ali que eu me juntava ao Carlos e à sua equipa depois que deixei de estar nos trabalhos sistemáticos da Villa Romana, num saudoso verão de 1991, se não estou enganado.

A Capela alberga muito espólio e muitas mais memórias. É essa viagem que deixar neste post e nos seguintes deste tema.

 

 

uma infusão de Paulo Colaço às 09:31
link directo | vai uma chávena?
Quinta-feira, 31 de Julho de 2008

Vai-se fazendo tarde

As unidades de arqueologia que estão em antigas Oficinas de Material do Exército onde vai ficar o novo Museu dos Coches, ainda não têm futuras instalações.

O maior tesouro de um país é o seu povo. O maior tesouro de um povo é a sua identidade.

 

Já trabalheir em arqueologia e sei que estes profissionais são tratados como lixo pelo "patrão público". Dificilmente vejo solução rápida para este impasse burocrático, financeiro e de má-vontade!

uma infusão de Paulo Colaço às 13:36
link directo | vai uma chávena?

Servido por

Paulo Colaço

pesquisar aqui

 

Instagram

Instagram

Outras infusões

subscrever feeds

Chávenas recentes

Dou o exemplo da ascensão de Hitler tantas vezes.É...
If justice would ever Justa there would be so many...
Outra versão interessante encontrada no tubo. http...
Alguém que diz que, num casal homossexual, "um hom...
Deixemo-nos de ingenuidades...a rédea curta nos ga...