Chá quente

É uma gente...

O fado do Zé Manel

As exportações portuguesa...

Chá frio

Junho 2018

Maio 2015

Junho 2014

Abril 2014

Outubro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Agosto 2012

Novembro 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

O Bule

todas as tags

Sábado, 3 de Julho de 2010

É uma gente...

Ontem, Manuel Alegre afirmou: "é preciso na Presidência da República alguém que não confunda a nação com a economia, que não veja Portugal como um manual de finanças e de economia".
Se Soares a Sócrates, passando por Guterres, tivessem tido mais atenção à economia, não teriam tratado o Estado como pátio do recreio dos seus regabofes.
A esquerda tem pouca consciência: gosta demasiado do caviar.

 

uma infusão de Paulo Colaço às 13:26
link directo | vai uma chávena?
Quinta-feira, 2 de Abril de 2009

O fado do Zé Manel

 

Barroso foi fadado para as andanças europeias.
Para ele não se trata de um mero tacho: é o patamar para o qual tem vocação.
 
Cavaco, Guterres e Sócrates estiveram todas na alta-roda europeia (e mundial) devido às presidências portuguesas da União. No entanto, a nenhum assentou o fato.
 
Cavaco é (ou era) pouco dado ao folclore.
Guterres falava línguas (como depreciava Soares) mas ele era o pacóvio que "tratava por tu 6 primeiros-ministros da Europa".
Sócrates é um peneirento, a quem não cabe um feijão onde nem é suposto estar.
 
Barroso, pelo contrário, é o homem do mundo.
Aquele que estudou em Londres, aquele que (em vários encontros com a JSD) apelava à juventude portuguesa:
"Vão lá para fora! fundam-se com o mundo! deixem que o mundo vos ensine e contribuam para que o mundo também aprenda convosco. Depois voltem e usem a vossa experiência para melhorar Portugal! Mas não esqueçam - tenham experiências lá fora."
 
Se gostei que tivesse partido?
Não!
Se preferia que tivesse ficado?
Sim, preferia.
Se compreendo que um homem deve perseguir os seus sonhos?
Sim, compreendo. E desejei-lhe boa sorte.
 
A Europa reconhece-lhe trabalho. Fico contente!
 
uma infusão de Paulo Colaço às 03:40
link directo | vai uma chávena?
Terça-feira, 19 de Agosto de 2008

As exportações portuguesas

"António Guterres, pediu hoje à Geórgia e à Rússia que permitam a abertura de um corredor humanitário na Ossétia do Sul".

 

Volta e meia lemos declarações deste cavalheiro. Normalmente muito previsíveis e em atraso. Guterres é uma exportação portuguesa. Pois é, nem sempre vendemos produtos de qualidade...

O Bule:
uma infusão de Paulo Colaço às 17:37
link directo | vai uma chávena?

Servido por

Paulo Colaço

pesquisar aqui

 

Instagram

Instagram

Outras infusões

subscrever feeds

Chávenas recentes

Dou o exemplo da ascensão de Hitler tantas vezes.É...
If justice would ever Justa there would be so many...
Outra versão interessante encontrada no tubo. http...
Alguém que diz que, num casal homossexual, "um hom...
Deixemo-nos de ingenuidades...a rédea curta nos ga...