Chá quente

Palavras que escorrem san...

Palavras que escorrem san...

Um som-ponte

Chá frio

Junho 2018

Maio 2015

Junho 2014

Abril 2014

Outubro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Agosto 2012

Novembro 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

O Bule

todas as tags

Quinta-feira, 2 de Setembro de 2010

Palavras que escorrem sangue VI - Auschwitz-Birkenau

Nome porque é conhecido um aglomerado de campos de concentração mandados construir na Polónia pelo governo de Adolf Hilter.

Auschwitz e Birkenau são os nomes germanizados de duas localidades perto de Cracóvia.

Estima-se que cerca de um milhão e meio de pessoas foram mortas nos 42 campos de concentração que constituiam o complexo.

É no principal dos campos que se encontra escrita a famosa inscrição "Arbeit macht frei" (O trabalho liberta).

 

O Bule: , ,
uma infusão de Paulo Colaço às 13:46
link directo | vai uma chávena?
Quarta-feira, 25 de Agosto de 2010

Palavras que escorrem sangue IV - Pogrom de Lisboa

Um "Pogrom" é um ataque violento maciço a pessoas, com a destruição simultânea do seu ambiente (casas, negócios, centros religiosos).

Historicamente, o termo tem sido usado para denominar actos em massa de violência, espontânea ou premeditada, contra judeus e outras minorias étnicas da Europa.

O Pogrom de Lisboa aconteceu na páscoa de 1506.

A população, enlouquecida pelos tempos de seca, peste e fome, tomo os judeus como culpados, segundo alguns por incitação dos frades dominicanos, que prometiam absolvição de pecados para quem matasse mais "hereges".

Foram três dias de massacre, fogueiras e vergonha para Portugal.

D. Manuel I, ausente em Beja, tentou travar a "purga" mas não conseguiu impedir a morte de centenas de portugueses, professantes de outra religião que a maioritária.

O Rei penalizou os envolvidos, confiscando-lhes os bens, e os dominicanos instigadores foram condenados à morte.

 

Ver mais

 

uma infusão de Paulo Colaço às 18:07
link directo | vai uma chávena?
Sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2010

Um som-ponte

Hava Nagila é uma toada que pertence ao folclore judaico, que tem raizes ucranianas e toca também o sentimento cigano.

Eis a letra (que tem, obviamente, muitas variações):

 

Hava naguila
Hava naguila
Hava naguila venis'mecha

Hava neranenah
Hava neranenah
Hava neranenah venis'mecha

Uru, uru achim!
Uru achim b'lev sameach

Uru achim, uru achim!
B'lev sameach
 

 

uma infusão de Paulo Colaço às 22:46
link directo | vai uma chávena?

Servido por

Paulo Colaço

pesquisar aqui

 

Instagram

Instagram

Outras infusões

subscrever feeds

Chávenas recentes

Dou o exemplo da ascensão de Hitler tantas vezes.É...
If justice would ever Justa there would be so many...
Outra versão interessante encontrada no tubo. http...
Alguém que diz que, num casal homossexual, "um hom...
Deixemo-nos de ingenuidades...a rédea curta nos ga...